Cícero Dantas-Bahia

Cícero Dantas (antiga Bom Conselho) é um município brasileiro do estado da Bahia, localizado na região semiárida, próximo a Canudos e Paulo Afonso.

História

Devido a adentrada de exploradores no sertão baiano no século XVII, foi aberta a Estrada Real de Garcia D’Ávila, estrada usada para o transporte do gado. Em cada localidade era erguido uma choupana com um curral, e a partir daí iniciava o povoamento por tropeiros, fazendeiros, nativos e catequizadores. Entre os dois grandes povoados da região nordeste da Bahia, Jeremoabo e Itapicuru existia uma área povoada pelos nativos Kiriris, faladores do Tupi e de seu dialeto próprio, eram coletores e caçadores, dominavam a localidade dos Montes do Boqueirão.

Com o grande fluxo de pessoas por esta estrada, malfeitores e assaltantes começaram a dominar a região dos Boqueirões roubando e matando. Os restos mortais destas pessoas com o tempo formaram o cemitério da Cacunéa. Já em 1812 cumprindo a determinação do Arcebispo da Bahia, o Frei italiano Apolônio de Toddi foi incumbido de prestar assistência aquele povo, primeiramente fazendo contato com a antiga moradora Cacunéa, iniciou erguendo uma cruz no cemitério e celebrando a primeira missa. De imediato deu início a construção de uma capela, cujo orago foi introduzido com o nome de Nossa Senhora do Bom Conselho dos Montes do Boqueirão, oficializada em 21 de julho de 1817. Durante este período sendo de freguesia, Bom Conselho detinha das seguintes fazendas: Quixaba, Manhenga, Estrelo, Tanque de Traz, Boqueirão, Faleira, Tanque Novo, Trindade, Bananas e Curral Falso.

Por força do trabalho e da catequese aquela comunidade foi vagarosamente evoluindo, chegando em 1875 a categoria de município, possuindo neste ano cerca de 244 casas dividida pela matriz entre os bairros do Navio e do Jatobá, dois barracões de feiras e a casa da câmara.

Na década de 1940 do século XX, Cícero Dantas testemunhava as grandes transformações socias, primeiramente com a abertura de uma nova estrada que ligaria Salvador a Paulo Afonso onde iniciava os trabalhos para a construção da Hidrelétrica de Paulo Afonso, decorrente desta grande obra a cidade foi se modernizando com o surgimento de novas ruas, a aparição do primeiro automóvel e a chegada da energia elétrica em 1950.

Povoados

  • Betânia / Bonito / Campinas de Castro / Cansanção / Chapada da Lagoa Grande / Entroncamento de Caxias / Estrelo / Ilha / Itaparica do Gama / Jatobá dos Tavares / Juá / Lagoa do Nolasco / Lagoa do Ouro / Lagoa do Ouricuri / Lagoa Grande / Limeira / Macambira / Major / Melos / Miroró / Pindorama / Quixaba / Raso do Santo / Rodeador / Saco / Serra Grande / Tubarão / Zé Pereira, Trindade.

Economia

Setores com grandes destaques: agrícola (milho e feijão), pecuária, apícola (mel) e lácteo (leite e derivados). Conforme registros na JUCEB, possui 38 indústrias, 103º lugar na posição geral do estado da Bahia, 573 estabelecimentos comerciais, 87ª posição dentre os municípios baianos. Seu parque hoteleiro registra 48 leitos. Registro de consumo elétrico residencial (kwh/hab): 107,57 – 121º no ranking dos municípios baianos. Dados 2001; A partir de 2009, o comércio passou a ter grande influencia na economia da cidade, que praticamente dobrou em 3 anos, contando hoje com uma vasta variedade de lojas de diversos segmentos atendendo visitantes de várias cidades da região. e a pecuária de gado bovino se destaca na região. Com o PIB de R$ 248 Milhões e 542 mil ocupada o 119° dentre as economias dos municípios Baianos dado com referência 2015 segundo o IBGE.

Comunicação

Rádio Regional AM 1.320

Rádio Buqueirão FM 104.9

A primeira forma de mídia da cidade de Cícero Dantas, foi o jornal “Folha do Nordeste” fundada em 1986 pelo jornalista Albérico Barbosa. A Rádio Regional de Cícero Dantas foi o primeiro meio de comunicação da cidade relacionado ao rádio, fundado em 24 de abril de 1990 por Dom Mário Zaneta trazendo para a cidade noticias da região e mostrando pelas ondas do rádio a fé do povo cicerodantense, hoje com 25 anos de história.

Geografia

Município baiano membro da Microrregião de Ribeira do Pombal (Nordeste do estado brasileiro da Bahia), limitando-se a leste com o Município de Fátima, a sul com Heliópolis, Ribeira do Pombal e Banzaê, a oeste com Euclides da Cunha e a norte com Novo Triunfo e Antas. Cortado pela rodovia BR 110, a aproximadamente 70KM da fronteira com o estado de Sergipe.

O acesso, a partir de Salvador, é efetuado pelas rodovias pavimentadas BR-324, BR-116, BR- 410 e BR-110 num percurso total de 302 km. O município é caracterizado como o segundo maior eixo rodoviário da Bahia (Feira de Santana é o primeiro), unindo a região ao estado de Sergipe, que influencia tanto quanto a capital do estado, Salvador.

Clima

O município está inserido no “Polígono das Secas”, apresentando um clima do tipo mega-térmico seco a sub-úmido e semiárido, com temperatura média anual de 23.4 °C, precipitação pluviométrica média no ano de 889 mm e período chuvoso de maio a julho. É zona de transição entre o agreste sergipano e o sertão Baiano, notabilizando distritos com características de vegetação e clima dessemelhantes. o distrito de Caxias guarda mais semelhanças com o agreste sergipano, enquanto que o distrito de São João de Fortaleza com o sertão baiano.

Hidrografia

A rede de drenagem local é relativamente escassa. Apresenta uma distribuição retangular, característica de regiões sedimentares. É caracterizada, por rios temporários, tendo como representantes principais os riachos da Betânia, da Nação, Baixa das Estrelas e Sacos Negros, e os rios Baixa do Tubarão e Quingomes. A área do município está inserida na bacia hidrográfica do rio Real.As características geológicas, descritas anteriormente, são desfavoráveis à acumulação de água em reservatórios superficiais (açudes, barreiros, etc.), em virtude do alto grau de infiltração das rochas que torna essa região uma boa área de recarga dos aquíferos da bacia sedimentar de Tucano.

Relevo

O relevo, esculpido em rochas sedimentares da Bacia do Tucano, corresponde tabuleiros dissecados por drenagem relacionada à bacia hidrográfica do rio Vaza-Barris.

  • Montes do Boqueirão

Os Montes do Boqueirão, são duas serras que se encontram com a distância aproximada de 350 metros uma da outra e com a altura de 130 metros, cada uma, localizando-se a noroeste da cidade a 06 km da Igreja Matriz da cidade.

Vegetação

Possui um clima semiárido e vegetação constituída especialmente de espécies lenhosas e herbáceas, de pequeno porte, geralmente dotadas de espinhos sendo na maioria das vezes, caducifólias perdendo suas folhas no início da estação seca, e de cactáceas e bromeliáceas. Alguns exemplares de vegetação de grande e médio porte são encontrados, mas as plantas mais abundantes são: A catingueira, as juremas e os marmeleiros.

Geologia

O município está totalmente inserido na bacia sedimentar de Tucano (Mesozóico) e sua geologia engloba litótipos do grupo Massacará e formação Marizal.

Solos dos tipos alissolo, luvissolo, neossolo, planossolo salódico eutrófico e latossolo vermelho-amarelo distrófico sustentam a vegetação nativa caracterizada por contato cerrado-caatinga-floresta estacional, contato caatinga-floresta estacional e contato cerrado-Caatinga. Parte da vegetação nativa foi substituída por pastos e culturas cíclicas.

Site oficial da cidade