Mestre Bimba, o fundador da Capoeira regional

Manoel dos Reis Machado também conhecido como Mestre Bimba (Salvador, 23 de novembro de 1899 – Goiânia, 5 de fevereiro de 1974), foi criador da Luta Regional Baiana, mais tarde chamada de capoeira regional.

Mestre Bimba trabalhou como minerador de carvão antes de criar a capoeira regional.

Ao perceber que a capoeira estava perdendo seu valor cultural e enfraquecendo enquanto luta, Mestre Bimba misturou elementos da Capoeira Tradicional com o batuque. (luta do Nordeste Brasileiro extinta com o passar do tempo) criando assim um novo estilo de luta com praticidade na vida, com movimentos mais rápidos e acompanhada de música. Assim conquistou todas as classes da sociedade. Foi um exímio lutador e acima de tudo um grande educador, foi o responsável por tirar a capoeira da marginalidade. Praticantes dessa arte se denominam “capoeristas”, pois, para eles, a capoeira é um estilo de vida – ser, pensar, agir como a arte da capoeira.

Bimba impunha regras para os praticantes da capoeira regional, sendo elas:

– Não beber, e não fumar. Pois os mesmos alteravam o desempenho e a consciência da capoeira.

– Evitar demonstrações de todas as técnicas, pois a surpresa é a principal arma dessa arte.

– Praticar os fundamentos todos os dias.

– Não dispersar durante as aulas.

– Manter o corpo relaxado e o mais próximo do seu adversário possível, pois dessa forma a capoeira desenvolveria mais.

No vídeo “Relíquias da Capoeira: Depoimento do Mestre Bimba“, um documento audiovisual em VHS produzido por Bruno Farias, o próprio Manoel comenta sobre os motivos que o fizeram se mudar para Goiânia, onde ele conseguiu mais apoio financeiro. Posteriormente, em uma reunião de especialistas em capoeira no Rio de Janeiro, explica-se mais sobre o nome do esporte, sobre a criação da capoeira regional e sobre esse lendário personagem chamado Mestre Bimba.

A versão original do vídeo, veiculada em 2006 pela extinta PAM TV Florianópolis (Antigo canal 17 da TVA), acabou se extraviando. Porém, recentemente, o jornalista Bruno Farias encontrou no antigo acervo da emissora uma amostra de 2 minutos do “Relíquias da Capoeira: Depoimento do Mestre Bimba” e escreveu uma matéria sobre o assunto, publicada no site da Revista de História da Biblioteca Nacional, junto à referida amostra.

O 119º aniversário do Mestre Bimba foi objeto de homenagem com um “Doodles” na maior empresa transnacional de serviços online, a Google.